escovando os dentes
Saúde e Bem-Estar

Conheça a composição química dos cremes dentais e como eles ajudam de fato na saúde bucal

A preocupação com a estética e saúde dos dentes é um comportamento que acompanha a sociedade há milhares de anos.

Os primeiros registros de um método de clareamento e limpeza dos dentes remonta por volta de 4000 a.C. Naquela época, os egípcios utilizavam uma mistura de pedra-pomes pulverizada (constituída de 70% de óxido de silício e 30% de óxido de alumínio) e vinagre.

Os mais ricos aplicavam essa mistura com pelos de cavalos. Já os mais pobres, o usavam com ramos de arbustos ou com os dedos mesmo.

Com o passar dos anos, vários outros povos antigos, como os chineses e romanos, utilizavam outros tipos de dentifrícios.

Mas foi apenas em 1850, nos Estados Unidos, que a sociedade começou a fazer a higiene bucal com um dentifrício parecido com o creme dental moderno.

escova e pasta de dentes
Fonte: Pexels.

A química da pasta de dente

Como pudemos ver no começo desse conteúdo, o creme dental como conhecemos hoje é resultado de um longo processo de evolução e aperfeiçoamento.

Essa evolução, no entanto, não seria possível sem a química. Mesmo na antiguidade, quando os recursos e conhecimentos nessa área não eram tão avançados.

Sendo assim, como quase tudo no nosso cotidiano, as pastas de dentes são um conjunto de itens da tabela periódica.

A seguir, confira alguns componentes que fazem parte desse produto e como eles agem na nossa nossa boca:

Grupos de componentes

Para começar, é preciso saber que as pastas de dentes são formadas por grupos de agentes limpantes. São eles:

  • Abrasivos: 20-50%
  • Umectantes: 20 – 40%
  • Água: 20 – 35%
  • Ligantes: 1 – 2%
  • Detergentes: 1 – 3%
  • Flavorizantes: 1-2%
  • Conservantes: 0,05-0,5%
  • Princípios preventivo-terapêuticos: 0,4-1%

Veja as funções dos principais componentes listados acima:

Abrasivos

Os abrasivos agem de forma mecânica, pois são pequenos cristais que, quando adicionados à composição, funcionam como uma espécie de esfoliante.

Sendo assim, eles são responsáveis por polir superficialmente os dentes, deixando-os mais brancos.

Dentre as substâncias que fazem parte desse grupo estão o hidróxido de alumínio, o carbonato de cálcio, o fosfato de cálcio, as sílicas e o bicarbonato de sódio.

Umectantes

Esse tipo de composto é utilizado para melhorar a aparência do produto e dar a consistência de gel ou creme. O aspecto espesso e viscoso conferido pelos umectantes evita com que o creme dental seque dentro do tubo.

Fazem parte desse grupo a glicerina, o sorbitol e o polietilenoglicol.

Água

A água, por sua vez, é utilizada para fazer com que a pasta de dente fique mais fluida e também é responsável por solubilizar os outros componentes.

Detergentes

As substâncias detergentes são responsáveis por ressuspender os resíduos removidos da superfície. É por causa deles que ao escovarmos os dentes a pasta produz uma espuma.

O lauril sulfato de sódio é o detergente mais utilizado na composição das pastas de dentes. Ele também está presente em shampoos, géis de banho, cremes de barbear e algumas aspirinas solúveis.

Princípios terapêuticos

Os princípios terapêuticos variam de produto para produto. Isso porque o uso de uma determinada substância desse grupo dependerá da função desempenhada pelo creme dental.

É por esse motivo que a indicação do dentista nos tratamentos de pacientes irá diferir de um para o outro de acordo com a composição da pasta.

Os principais princípios terapêuticos usados para combater cáries, por exemplo, são os sais de flúor – conhecidos nas embalagens apenas por flúor. Entre ele estão o monoflúor fosfato e o fluoreto de sódio.

O flúor se incorpora ao esmalte dos dentes, o que os torna mais resistentes aos ácidos presentes em alguns alimentos e à placa bacteriana.

Creme dental infantil

Por falar em flúor, é importante ressaltar que cremes dentais com esse tipo de substância devem ser utilizados com moderação.

Isso porque, em grandes quantidades, podem se tornar um fator de risco para o desenvolvimento da fluorose dentária.

Sendo assim, é possível que adultos e crianças de uma mesma família usem o mesmo creme dental, desde que a quantidade certa para cada idade seja respeitada:

  • Crianças menores de 2 anos: quantidade correspondente a 1 grão de arroz cru duas vezes ao dia;
  • Entre 2 e 5 anos: quantidade correspondente a 1 grão de ervilha duas vezes ao dia;
  • A partir de 5 anos: quantidade correspondente a 1 grão de ervilha três vezes ao dia.

Vale ressaltar, no entanto, que cremes dentais com ação de branqueamento não devem ser usado nas crianças. Caso contrário, o risco de fluorose dentária aumenta.

Benefícios do uso do creme dental

Diante de tantas substâncias químicas deu para perceber que a pasta de dente é um recurso poderoso na saúde e estética da nossa boca.

É por meio desse produto que garantimos uma limpeza eficiente e proteção química contra diversos tipos de bactérias. Além disso, impedimos o aparecimento de manchas.

Por isso, se antes os cremes dentais eram tidos apenas como cosméticos, hoje são imprescindíveis para o tratamento de problemas mais sérios.

Entre esses problemas está a sensibilidade do dente. Alguns dos cremes dentais modernos agem eliminando os canalículos dentinários (parte interna da estrutura do dente) e, até, agindo diretamente no nervo dos dentes.

Para uma saúde bucal completa, procure um profissional

Já que esse conteúdo fala sobre os benefícios da pasta de dente na nossa saúde bucal, é válido mencionar aqui que para garantir a saúde dessa região é importante contar com o auxílio de um dentista.

É esse profissional que poderá identificar eventuais problemas e necessidades dos seus dentes e indicar a melhor pasta para o seu caso.

Por isso, se você ainda não conta com um dentista de confiança, um jeito simples de começar a procurar é fazendo um convênio odontológico.

Por meio do plano odontológico você facilita a ida regular ao consultório e a realização de exames e procedimentos.

Veja com a empresa em que você trabalha sobre a existência de um plano dental empresarial. Caso eles não ofereçam esse benefício, pesquise por termos específicos, como “convênio dentista”, para verificar os planos existentes e escolher o que melhor atende às suas necessidades.

Texto produzido por Estela Lima, redatora da empresa Ideal Odonto.

Autor

Católico Apostólico Romano, Publicitário, funcionário público, ilustrador e blogueiro. Apreciador de quadrinhos, artes e tudo o que pode transformar vidas para melhor. Acredita que fé em Deus, conhecimento, troca de informações e experiências podem ajudar a construir um novo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *