5 curiosidades sobre o mercado de trabalho no exterior
Comportamento / Curiosidades

5 curiosidades sobre o mercado de trabalho no exterior

Aprenda mais sobre o mercado de trabalho no exterior e veja como iniciar sua carreira internacional!

O número de brasileiros que gostaria de morar em outro país é bem grande. De acordo com uma pesquisa Datafolha de 2018, 62% dos entrevistados de 16 a 26 anos gostaria de se mudar para o exterior.

O desejo também se encontra em outras faixas etárias, já que a porcentagem de interessados foi de 50% entre 25 e 34 anos, 44% entre 35 e 44 anos, 32% entre 45 e 59 anos e 24% para quem tem mais de 60 anos. Foram entrevistadas quase 2.100 pessoas de todo o Brasil.

Por consequência, o interesse em trabalhar fora do Brasil também é muito grande, mas nem todas as pessoas que estão nesse grupo sabem o que devem fazer para conseguir realizar esse objetivo.

Veja também: Conheça a mais linda cidade da Suíça.

Se você tem vontade de morar e trabalhar fora do Brasil, então está no lugar certo! Nós separamos algumas curiosidades sobre o assunto que podem despertar ainda mais interesse, além de eliminar algumas de suas principais dúvidas.

5 curiosidades sobre o mercado de trabalho no exterior

Cada item da lista lhe ajudará a entender melhor o mercado profissional fora do Brasil e, assim, se planejar para realizar esse grande sonho!

5 curiosidades sobre o mercado de trabalho no exterior

1 – Idade não é uma barreira

De acordo com os dados que vimos anteriormente, o interesse em morar fora do país é maior por parte dos jovens, mas há um grande número de pessoas com mais idade que também desejam conquistar esse objetivo. A boa notícia é que elas também podem!

O “Working Holiday Visa”, algo como “visto de férias de trabalho”, é uma das alternativas mais práticas para quem tem entre 18 e 30 anos (ou até 35 anos em alguns países). Ele é oferecido em aproximadamente 58 países, como África do Sul, Alemanha, Canadá, Dinamarca, França, Rússia e Reino Unido.

Depois dessa idade, o ideal é aplicar para um visto de trabalho comum. Sua obtenção pode ser um pouco mais difícil e demorada, mas ao planejar com cuidado e seguir às suas determinações, como a comprovação de sua qualificação profissional, o resultado tende a ser positivo.

2 – Empresas multinacionais são uma ótima porta de entrada

Assim que se fala sobre trabalhar em outro país, é comum imaginar a procura pelas vagas através da internet ou até mesmo um mapeamento da situação local em uma viagem a lazer para, então, tentar algo mais concreto no futuro.

Porém, existe uma oportunidade que nem sempre é lembrada, mas pode ser mais prática para a realização do sonho de trabalhar em outro país: ser um colaborador de uma empresa multinacional que preste seus serviços no Brasil.

Como o próprio nome ressalta, empresas multinacionais também possuem sedes e filiais em outros países. Se você conseguir comprovar a qualidade de seu trabalho aqui no Brasil, as chances de receber uma promoção ou de ser direcionado para uma filial internacional aumentam consideravelmente.

Além disso, outra vantagem é que você estará em contato com a cultura da empresa, seus valores e também com a área de atuação, o que facilitará a adaptação para o país estrangeiro.

3 – Nem toda viagem precisa ser definitiva

Assim como existem pessoas que gostariam de passar toda a vida em outro país, também há aquelas que querem vivenciar uma experiência temporária, de modo a melhorar seu currículo e criar momentos memoráveis, e essa também é uma possibilidade.

Ter vivido e trabalhado fora do país é uma melhoria considerável para sua imagem profissional, o que consequentemente atrairá mais a atenção dos recrutadores e te colocará em uma posição privilegiada.

Também é importante ressaltar que a experiência internacional é um ponto que pesará positivamente na hora de escolher alguém para ser promovido ou passar a gerenciar um grupo de colaboradores no trabalho. Logo, as vantagens são muitas para quem deseja trabalhar fora, ainda que por um período de tempo determinado.

4 – Existem oportunidades para todos

Um infográfico da Go Abroad mostrou quais são os melhores empregos em outros países para os norte-americanos. Ainda que tenha sido feito para pessoas de uma nação diferente do Brasil, os insights são muito interessantes para nós.

Ele afirma que ⅓ dos expatriados norte-americanos estão morando fora pela primeira vez como recém-formados, profissionais no meio da carreira e aposentados, ou seja, as oportunidades são bem variadas, mesmo para quem é novo nessa situação.

Outro ponto muito importante é o domínio de dois idiomas, que no caso deles é o inglês (língua nativa) e mais um. Não é necessariamente obrigatório ser fluente, mas conseguir se comunicar bem de todas as formas é essencial para conseguir boas colocações no mercado.

Os destinos sugeridos foram Costa Rica, República Tcheca, Nova Zelândia e Taiwan, mas o interesse é um pouco diferente por aqui.

De acordo com a pesquisa Selo Belta 2017, os 10 países preferidos para intercâmbio para os 1.145 participantes, que também são desejados por quem quer trabalhar fora, foram Canadá, Estados Unidos, Reino Unido, Nova Zelândia, Irlanda, Austrália, Espanha, Portugal, Itália e Argentina.

5 – Nômade digital pode ser uma opção

É provável que você já tenha ouvido falar nesse termo, mas será que conhece seu significado? Pois bem, nômades digitais são as pessoas que não têm uma habitação fixa e trabalham remotamente, ou seja, possuem bastante liberdade na vida pessoal e profissional.

Hoje em dia, com o crescente desenvolvimento da tecnologia, várias funções podem ser desempenhadas remotamente, como web designers, redatores, influenciadores digitais e profissionais de marketing, e algumas pessoas se aproveitaram dessa vantagem para viajar o mundo sem precisar se preocupar com o local de trabalho.

De acordo com a pesquisa “State of Independence in America”, feita em 2018 pela MBO Partners, 4,8 milhões de trabalhadores independentes se descrevem como nômades digitais. Além desse número que chama a atenção, outro dado curioso é que 17 milhões de pessoas querem se tornar nômades em algum momento da vida.

Se você gosta de ter autonomia sobre os horários, ser o seu próprio chefe e, de quebra, quer ter a oportunidade de conhecer vários países e lugares, o que também pode acrescer em seu currículo, a trajetória de um nômade digital pode ser perfeita para o que procura.

Trabalhar como autônomo é uma carreira que pode ser iniciada no Brasil. Então, com o passar do tempo, quando já se sentir confiante e perceber que existe uma renda constante que possa lhe manter em outro país, você pode começar a aspirar uma carreira internacional, com toda a liberdade que sempre sonhou.

Realize o sonho de trabalhar fora do país!

O grande número de interessados ressalta a tendência de globalização que vivemos hoje, onde as oportunidades profissionais não se restringem apenas ao território do próprio país, mas também se estendem a outras nações – e até mesmo continentes.

O mercado de trabalho sempre terá seus desafios, mas as recompensas de ser um trabalhador internacional são muitas, tanto financeiras quanto culturais. Se esse é um desejo seu, faça todo o possível para poder torná-lo realidade.

Não se esqueça das etapas burocráticas, como a emissão do passaporte e do visto, a vacinação solicitada para cada país e a tradução de seus documentos através de uma empresa de tradução. Com isso, você pode se tornar o mais novo cidadão – e trabalhador – do mundo!

——————————————-

Curtiu essas dicas de como se colocar no mercado de trabalho no exterior? Não deixe de comentar e compartilhar.






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *