cuidados com o cabelo
Saúde e Bem-Estar

Mitos e verdades sobre vitaminas para o cabelo

Apesar do importante papel das vitaminas para o crescimento e fortalecimento capilar, informações erradas podem causar danos à saúde. Entenda melhor!

O tema vitaminas para o cabelo frequentemente gera dúvidas e incertezas, podendo levar a situações danosas à saúde, como alterações prejudiciais na alimentação ou mesmo superdosagem de vitaminas.

Com boas informações, a busca pela saúde capilar é mais fácil e segura, evitando extremos que são sempre complicados, seja pela falta ou pelo excesso das vitaminas.

A seguir destacamos algumas informações relevantes sobre as vitaminas para o cabelo e esclarecemos mitos e verdades sobre o tema. Confira!

cabelo ruivo
Fonte da imagem: Pexels

Existem sintomas que revelam a falta de vitamina?

Sim, é verdade que o déficit de vitaminas no organismo se manifesta com sintomas por vezes bastante explícitos, facilitando a identificação e busca de um médico para assistência especializada. Alguns sinais incluem:

● cabelos e unhas quebradiços;

● caspa;

● manchas escamosas na pele;

● queda de cabelo;

● saliências vermelhas ou brancas na pele;

● fraqueza e fadiga recorrentes.

Caso esses sintomas sejam identificados, é importante fazer uma avaliação com um médico que solicitará exames específicos para identificar se há o déficit de vitaminas e quais as causas dele.

A reposição de vitaminas sempre beneficia o crescimento capilar?

Não, nem sempre a reposição ou suplementação de vitaminas vai ser benéfica à saúde capilar ou ao sistema imunológico e, por vezes, essa conduta é até contra indicada.

A saúde e crescimento capilar são influenciados por outros fatores além da disponibilidade de vitaminas no organismo, de forma que considerar a queda de cabelo como sempre associada à falta de vitaminas é errado. Alguns elementos incluem:

● tendência genética: a predisposição hereditária herdada do pai ou da mãe influencia muito em casos como de calvície ou mesmo miniaturização, que consiste na perda de volume e afinamento dos fios;

● idade: após os 45 anos é mais provável desenvolver quadros de afinamento dos fios, uma vez que os folículos pilosos já não são tão fortes como na juventude;

● sistema digestivo: muitas vezes a alimentação é adequada, mas o sistema digestivo tem dificuldade para absorver os nutrientes, de forma que um tratamento gástrico pode ser necessário antes de pensar na reposição de vitaminas;

● consumo de água: a ingestão adequada de água diariamente é fundamental para bom funcionamento do organismo, mas muitas pessoas ignoram essa recomendação e acreditam que necessitam de reposição de sais minerais, por exemplo.

Verifica-se assim que ainda que as vitaminas sejam essenciais ao crescimento capilar saudável, outros fatores podem influenciar a saúde e fortalecimento dos cabelos.

A biotina é a principal vitamina para o cabelo?

A composição de vitaminas do cabelo pode variar, no entanto, a vitamina B7, também conhecida como biotina, é uma das centrais para o crescimento capilar.

A biotina contribui na síntese de proteínas e o cabelo é composto principalmente de queratina, uma proteína. Dessa forma, uma boa disponibilidade da vitamina B7 fará com que mais proteína ingerida seja sintetizada, melhorando a disponibilidade de queratina.

Apesar disso, é importante ressaltar que, alimentando-se com qualidade, se obtém os níveis adequados de biotina à dieta, sendo rara a deficiência dessa vitamina.

Quais vitaminas contribuem para a saúde capilar?

São várias as vitaminas que vão influenciar na saúde capilar e que precisam ser ingeridas na alimentação, que é a melhor forma de garantir uma boa reserva energética e vitamínica. Entre elas destacam-se:

● vitamina A: contribui na renovação celular importante ao cabelo que é o tecido que cresce mais rápido no corpo humano. Além disso, influencia na produção de sebo, responsável pela hidratação e saúde dos fios;

● vitamina C: trata-se de um importante antioxidante que reduz os danos causados pelos radicais livres nos folículos capilares. Além disso, a vitamina C está relacionada a absorção do ferro e síntese de colágeno;

● vitamina D: ainda que a relação entre essa vitamina e o cabelo não seja totalmente esclarecida, estudos já verificaram que o seu déficit está associado à perda de cabelo. Apesar de estar presente em alguns alimentos, é importante expor-se ao sol para manter níveis adequados dessa vitamina.

Isso significa que a suplementação dessas vitaminas sempre é recomendada para manter a saúde capilar? Não, entenda melhor a seguir.

O excesso de vitaminas pode causar a queda de cabelo?

Sim, um fato pouco conhecido e essencial quando falamos de vitaminas para o cabelo é que a superdosagem pode ser prejudicial à saúde.

A vitamina A, por exemplo, quando em excesso pode levar à queda de cabelo. Ela está presente em carnes, frutas e legumes como manga, mamão, cenoura e abóbora.

O consumo diário de vitamina A recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 600mg por dia. Alguns sintomas do excesso de vitamina A no organismo incluem visão borrada, vômitos, sonolência e alterações cutâneas como ressecamento, descamação, coceira e tom amarelado.Portanto, ao verificar alterações capilares como caspas, queda de cabelo, calvície masculina, dermatites e miniaturização, a recomendação é buscar auxílio especializado ao invés de investir em uma suplementação de vitaminas sem investigações médicas apropriadas.  

Autor

Católico Apostólico Romano, Publicitário, funcionário público, ilustrador e blogueiro. Apreciador de quadrinhos, artes e tudo o que pode transformar vidas para melhor. Acredita que fé em Deus, conhecimento, troca de informações e experiências podem ajudar a construir um novo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *