opções para quem quer morar fora
Comportamento / Curiosidades

O que eu preciso saber para morar no exterior?

Morar fora do país é um sonho para muitos brasileiros, já que pode abrir excelentes oportunidades profissionais e acadêmicas, além do fato de estar em contato com diferentes culturas, o que é altamente recompensador.

Para realizar este sonho, é essencial se planejar, pois há uma série de questões burocráticas envolvidas, além da organização no que tange à moradia, alimentação, transporte, saúde e afins.

Se você também deseja trilhar seu futuro fora do solo tupiniquim, então veio ao lugar certo! Vamos conferir números e dicas sobre o assunto, de modo que você saiba por onde começar para colocar os planos em prática.

Você sonha em morar no exterior?
Você sonha em morar no exterior?

Quantos brasileiros vivem fora do Brasil?

Curiosamente, esta é uma questão para a qual não existe uma resposta definitiva e atualizada por conta da falta de coleta de dados sobre o tema.

Os dados mais atualizados e confiáveis sobre essa questão são do Relatório Internacional de Migração, do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da Secretaria das Nações Unidas (Desa), que afirma haver 1,6 milhão de brasileiros morando no exterior no primeiro semestre de 2017, número 3,5% maior que o de 2015.

Para fins de comparação, o número é maior que da população estimada de 2019 de 18 capitais brasileiras pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com exceção de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Fortaleza, Belo Horizonte, Manaus, Curitiba e Recife.

O continente preferido para esses imigrantes é a Europa, que abrigava por volta de 635 mil brasileiros na época de divulgação do relatório. Em relação aos países que mais recebem brasileiros, a lista é encabeçada pelos seguintes, com o respectivo número de pessoas e a porcentagem entre os imigrantes brasileiros:

  1. Estados Unidos (367.000, 22%)
  2. Japão (206.976, 12,8%)
  3. Portugal (136.631, 8,4%)
  4. Itália (106.040, 6,5%)
  5. Espanha (100.128, 6,2%)

Em relação às declarações de saída definitiva do Brasil, os números também vêm aumentando. A Receita Federal afirmou que, em 2018, foram entregues 22,4 mil declarações, aumento de 5,66% em relação às 21,2 mil do ano de 2017.

Quando o assunto é o interesse em sair do país, porém, os números são bem maiores. Uma pesquisa do Datafolha, de maio de 2018, mostrou que 70 milhões de brasileiros a partir de 16 anos de idade sairiam do país se tivessem oportunidade. O destaque fica na faixa etária de 16 a 24 anos: 62% responderam positivamente.

Ainda que não haja números tão atualizados e precisos a respeito de quem mora fora do Brasil, é possível ver que ele representa uma parcela significativa da população, e se os interesses se mantiverem assim, a tendência é de aumentar cada vez mais.

O que fazer para ser o próximo a morar no exterior?

É preciso seguir alguns passos, de fato, mas nada demasiadamente difícil. Confira:

Esteja firme em sua decisão

Tanto pelos trâmites burocráticos, quanto pelos custos e as oportunidades que podem ser perdidas no Brasil, é essencial estar certo do que quer antes de concluir a decisão.

Se você tem este objetivo mas acha que o momento ideal ainda não chegou, não tem problema. Amadureça a decisão em sua mente, guarde dinheiro e, quando chegar o momento, coloque os planos em prática.

Busque saber em quais países pode morar legalmente

Mudar de país não é igual a mudar de cidade. Para que eles te aceitem como morador, é preciso seguir a uma série de exigências.

O que pode ser feito para evitar problemas é procurar saber quais são os países em que você pode morar. Se tiver algum antecedente de outra nacionalidade, por exemplo, é bem mais fácil conseguir morar no país em questão.

Caso contrário, se não houver nenhuma ligação neste sentido, é preciso seguir as exigências do país desejado, como já chegar com um emprego garantido ou ter passaporte e/ou visto que concedam direitos especiais, por exemplo.

Saiba para onde e quando quer ir

Há 194 países em todo o mundo (exceto o Brasil) de acordo com as Nações Unidas, ou seja, opções de escolha não faltam. Por mais difícil que seja, você precisa escolher o país que deseja ter como sua nova moradia – processo que é facilitado depois de saber quais são as opções aplicáveis, como visto no passo anterior.

Isso é determinante pelo fato de que cada um possui diferentes exigências legais e burocráticas, o que demanda um planejamento bem específico. Caso contrário, as chances de se deparar com um problema são maiores.

A data também deve estar em pauta, pois te ajudará a programar melhor cada passo necessário.

Guarde mais dinheiro do que o necessário

Fazer uma estimativa de orçamentos é obrigatório para saber como se manter em terras estrangeiras, mas fechar a conta exatamente em cima do valor não é recomendável.

Não se sabe quando será necessário ter alguma despesa adicional, como com remédios ou uma viagem inesperada, e isso deve estar contemplado em seu orçamento, já que a realidade na qual estará inserido é bem diferente da que está acostumado no Brasil.

Prepare toda a documentação com antecedência

Não há como se aprofundar muito aqui pelo fato de que as exigências variam conforme o país, mas, via de regra, todos os documentos que você precisa devem estar no idioma do país de destino, de modo que sua validade legal seja assegurada.

Isso é feito através das traduções juramentadas, que quando exibidas em conjunto com o documento original, possuem sua validade legal resguardada. Caso contrário, não será possível fazer as possíveis comprovações necessárias.

Para esclarecer as dúvidas, procure a repartição consular do país desejado, onde poderá obter todo o suporte necessário para tal.

Procure saber sobre o seguro viagem

Essa é outra questão que varia de acordo com o país, mas busque saber sobre o tema para evitar surpresas.

Em todos os países da Europa, por exemplo, sua presença é obrigatória, já que eles fazem parte do Acordo de Schengen, e a cobertura mínima deve ser de € 30.000. Porém, mesmo onde é opcional, vale a pena investir pois acidentes, despesas médicas e afins são problemas aos quais todos estão sujeitos.

Coloque seu sonho de morar fora do Brasil em prática!

O processo é um pouco trabalhoso, mas certamente vale a pena para quem deseja vencer as barreiras geográficas e estar legalmente apto a seguir com sua vida em outro país.

Não se esqueça de observar todas as dicas, e procurar pela tradução juramentada o quanto antes para evitar atrasos e tirar todas as dúvidas antes de sair do Brasil, de modo que a experiência seja a mais maravilhosa possível!

Autor

Católico Apostólico Romano, Publicitário, funcionário público, ilustrador e blogueiro. Apreciador de quadrinhos, artes e tudo o que pode transformar vidas para melhor. Acredita que fé em Deus, conhecimento, troca de informações e experiências podem ajudar a construir um novo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *