Curiosidades

Conheça a primeira mulher trans a conseguir amamentar seu filho

É interessante saber que diversos tratamentos envolvendo controle hormonal e bombas de sucção contribuem para a amamentação de mães adotivas há algum tempo. A prática já é recorrente e considerada normal em muitos centros médicos, mas recentemente foi usada pela primeira vez em uma mulher transgênero. 

amamentação-transgênero

A possibilidade do tratamento foi pensada pela primeira vez porque a parceira de uma mulher norte-americana de 30 anos estava grávida. Seu nome não foi revelado, e tudo aconteceu porque a mãe não estava disposta a amamentar a criança, mas ter um bebê seria uma importante realização na vida do casal.

Para atingir seu objetivo, a mulher trans contou com a ajuda do endocrinologista do Centro de Medicina e Cirurgia para Transgêneros do Hospital Mount Sinai, em Nova York, Tamar Reisman. Com a conclusão do tratamento, este se tornou o primeiro caso de mulher trans a amamentar já registrado na literatura científica.

Como foi possível?

Para produzir leite, a mulher foi inserida em um regime hormonal com spironolactone, um diurético que ajuda a controlar e a simular a química hormonal de uma mulher grávida. Ela também recebeu galactagoge, uma substância endógena também encontrada em plantas que promove a lactação em mamíferos. Também foi aconselhada a utilizar a bomba tira-leite regularmente, pois leva a um aumento da produção do hormônio prolactina, que, por sua vez, impulsiona a produção de leite.

Depois de apenas um mês de tratamento, ela já era capaz de produzir pequenas gotas de leite. Três meses depois, essa produção subiu para pouco mais de 200 ml de leite por dia. As informações são do jornal Transgender Health

A equipe acompanhou os primeiros meses depois do nascimento da criança. Durante as seis primeiras semanas, foi alimentado exclusivamente do leite da paciente. De acordo com o pediatra que analisou os resultados, “o bebê apresentou um desenvolvimento apropriado em relação ao crescimento, alimentação e ao fazer suas necessidades”.

Após esse período, o bebê teve que receber suplementos alimentares por que a mãe que amamenta não estava produzindo leite o suficiente. No entanto, Reisman afirmou em entrevista ao The Washington Post que, aos seis meses, a criança estava “feliz, saudável e super fofa”.

Será que o tratamento pode começar a ser utilizado em grande escola? O que você pensa sobre esse assunto? Deixe sua opinião nos comentários.

————————————————————-

Com informações de Galileu.






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies para melhorar a sua experiência de navegação e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nosso site, você concorda com tal monitoramento
Criado por WP RGPD Pro