radiação e Raio X
Curiosidades / Tecnologia

Entenda para que servem os diferentes tipos de radiação

Entenda os diferentes tipos de radiação e quais suas aplicações na área da saúde, bem como nas áreas de arqueologia, comunicação e indústria alimentícia.

A radiação consiste na emissão e deslocamento de energia na forma de partículas ou ondas eletromagnéticas por um emissor natural, como o Sol, ou a partir de equipamentos construídos pelo homem, como o raio-X ou mesmo rádios.

Apesar de um receio comum contra a radiação, sua presença em nosso dia a dia é recorrente, seja pelos raios ultravioletas emitidos pelo Sol ou por ondas de rádio AM e FM, exames médicos, tratamentos ou procedimentos estéticos.

Pensando nisso, é importante que entendamos quais são os diferentes tipos de radiação para que, assim, haja sempre uma exposição segura e consciente.

Quais as aplicações da radiação?

Inicialmente, é importante esclarecer para que serve a radiação e quais são suas aplicações no dia a dia.

Ela é usada em diferentes áreas. A exemplo, na área de pesquisas arqueológicas, é aplicada para se fazer a datação de artefatos antigos e fósseis utilizando carbono-14.

Na indústria, por outro lado, a radiação é utilizada para a esterilização, controle de qualidade, aumento da durabilidade de alimentos e geração de energia.

No entanto, entre as aplicações mais conhecidas da radiação, destaca-se a da área médica, sendo aplicada tanto em exames como em tratamentos. Os exemplos de uso incluem:

  • tratamentos de câncer por meio da radioterapia;
  • diagnósticos médicos que utilizam da radiografia, mamografia, tomografia etc.;
  • medicina nuclear;
  • esterilização de materiais cirúrgicos;
  • controle de qualidade na indústria;
  • conservação de alimentos e redução de microorganismos;
  • datação de objetos antigos em estudos arqueológicos;
  • geração de energia elétrica em usinas nucleares.

Além desses usos, temos como a maior exposição radioativa aquele que ocorre em decorrência da luz solar. Contudo, cabe a nós aqui destacar que é necessária uma exposição intensa para causar danos celulares e, por isso, é fundamental fazer o uso de protetor solar.

Quais os tipos de radiação?

Diferente do que muitos pensam: sim, há diferentes tipos de radiação. Seus dois principais grupos são de radiação não ionizante e ionizante, dependendo dos níveis de energia e das consequências de cada uma. Confira a seguir:

Radiações não ionizantes

Inclui-se no grupo de radiação não ionizante aquelas com baixa energia e baixa frequência. Elas podem se propagar na forma de ondas eletromagnéticas, a partir de fontes naturais ou artificiais. 

Em geral, esse tipo de radiação resulta na geração de luz ou calor, sendo alguns exemplos de uso cotidiano: lâmpadas, ondas de rádio, ondas dos celulares e radares, transmissão de televisores, redes Wi-Fi, entre outros.

A falta de informação sobre o tema levou a um mito referente à possibilidade dos celulares ou da internet causarem câncer, mas o que se sabe é que a radiação desses equipamentos não é diferente daquela que já era usada no rádio.

Radiações ionizantes

A radiação ionizante é aquela que tem maior energia quando comparada com a não ionizante e resulta na ionização dos materiais expostos a ela, sendo possível encontrá-la na natureza e também em equipamentos criados pelo homem.

A radiação ionizante pode ser dividida em três tipos que variam de acordo com o poder de penetração:

  • radiação beta: essas partículas têm uma elevada velocidade (270.000 km/s), podendo penetrar até 1 cm no corpo humano. Ela pode ser barrada, por exemplo, por uma folha de alumínio;
  • radiação alfa: apesar de um carga elétrica mais potente, essa partícula viaja com velocidade baixa (20.000 km/s) e não consegue ultrapassar células mortas na superfície da pele, sendo que uma folha de papel é suficiente para bloqueá-la.
  • radiação gama: é resultado da emissão de partículas alfa e beta, com velocidade média de 300.000 km/s, sendo capaz de penetrar no corpo humano. Para bloqueá-la são necessárias grossas camadas de chumbo ou concreto.

A radiação ionizante gama é usada na medicina nuclear, nos exames radiológicos e nos tratamentos radioterápicos.

Qual a importância do uso da radiação na saúde?

A descoberta da radiação e posteriormente de estudos que viabilizaram seu controle via equipamentos criados pela humanidade representou signitivamente à história da Medicina. 

A radiação ionizante, que detém mais energia e pode penetrar no corpo humano, é usada em diferentes exames de diagnóstico como:

  • cintilografia;
  • cefalometria;
  • mamografia;
  • raio-X;
  • tomografia computadorizada;
  • ressonância magnética nuclear.

Além da aplicação no diagnóstico, muito do que conhecemos sobre a radiação deve-se ao seu uso nos tratamentos médicos, como em casos oncológicos, por meio da radioterapia.

A radiação, a depender da qualidade e intensidade de sua dose, pode causar mutações genéticas e danos às células. Tal capacidade é utilizada, sobretudo na área médica, com o objetivo de combater as células cancerígenas. Contudo, é importante aqui lembrar que seu uso de maneira inadequada ou exposição intensa, sem proteção, são prejudiciais à saúde.

A radiologia tem passado por modernizações constantes, como a radiologia digital para reduzir a exposição dos pacientes à radiação, telerradiologia e software de voz para laudo radiológico, por exemplo, mas todas essas possibilidades surgiram a partir do entendimento dos diferentes tipos de radiação e controle desse recurso.






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *